APOCALÍPTICOS (Poesia de Alam Arezi)

Não caia,
Não surte,
O mundo vai se desvirginar e padecer,
Feito as belas e saudosas películas da década de cinqüenta.

Não morra.
Não sue,
epileticamente estaremos envoltos, abraçados
- E nossas línguas lamberão toda a sujeira das periferias.

Não sinta: ignore.
Não enxergue: tudo estará transparente demais,
A verdade deixará de ser um conceito isomorfo,
e todos os corações irão receber a mesma dose de adrenalina.

Não é agora.
Não é ainda hora.
Bichos atrozes tirarão gravatas, e melancólicos talvez eles pensem:
Em toda a fortuna que poderia ter sido construída com menos dinheiro.







Autor: Alam Arezi
Blog: http://cabecavoodoo.blogspot.com/

Concurso: III Prêmio Literário Canon de Poesia - 2010
Organização: Canon / Fábrica de Livros / Scortecci Editora
Classificação: Seleção para publicação

Nenhum comentário:

Postar um comentário